19
Set 08

                No início quando te via era só timidez, a tua cortesia ia-me conquistando aos poucos. Nascia em mim um sentimento que desconhecia. O meu corpo fervilhava a cada movimento teu.

Tentei enganar-me, rejeitava tudo o que pudesse ser diferente do que imaginara. Cada simples gesto de gentileza era um novo motivo para crer que o meu sonho um dia poderia ser realidade. Quando os meus olhos te encontravam renascia em mim uma força capaz de destruir a mais forte das montanhas. Alimentei por algum tempo essa situação porém com o passar do tempo fui percebendo que as tuas indirectas eram tão translúcidas que só eu é que não queria aceitar, afinal o sentimento que eu tinha não era correspondido. É verdade, confesso! Também nunca te disse cara a cara o que sentia, talvez por medo, cobardia, constrangimento…
As minhas asas começaram a voar mas depressa perderam a força que inicialmente tiveram. Era impossível levantar voou sozinha! O peso da realidade era cada vez mais intenso e tenebroso. Os sonhos transformaram-se em lágrimas amargas percorrendo o meu rosto de sofrimento. As forças acabaram, o desalento instalou-se em cada veia do meu corpo. Quero esquecer o sofrimento que estou agora a passar.
publicado por olhosverdes21 às 23:02

1 comentário:
Escrevendo é sem dúvida uma excelente forma de dizer o que nos vai na alma. Foi um lindo desabafo este que te saiu do fundo do coração.

Espero que o destinatário possa vir a ler e a perceber o que deixou escapar.

Beijinho muito grande e segue em frente ;)
Tou contigo
Sofia a 19 de Setembro de 2008 às 23:33

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


arquivos
2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO